terça-feira, 10 de março de 2009

Flores, vou falar de flores.... 1ª Parte.

Preambulo

Á uns anos valentes atrás , ainda era eu ainda um jovem de 17 anos, irresponsável, inconsequente e timidamente encantador, travei a minha primeira batalha emocional, naquela altura e sem qualquer preparo, recordo-me que senti o primeiro encontro com aquilo que alguns chamam de “primeiro amor” e ainda mais grave alguns adjectivam como “ O mais importante , que nunca se esquece” , ora eu em oposição a isto não chamo de primeiro amor , chamo sim de Atracção Ingénua , não vou falar dos adjectivos que eu utilizo pois seria de certo alvo de apedrejamento e muito possivelmente, seria pendurado pelos pés num qualquer poste de iluminação desta bonita cidade , pelos mais devotos e eternos seguidores da Primeira Doutrina, ora passemos aos factos:
Ela era linda de morrer, ainda hoje o é miúda ruivita, com um cabelo de meter inveja a qualquer uma dessas famosas actrizes de cinema mais badaladas, carita muito engraçada, e dona de uma personalidade muito querida nas determinada, era ela naquela altura miúda lá prós seus 16 anitos, eu um jovem atlético e musculado de 17, praticante de vários desportos físicos e aluno razoável para não dizer Mau….
Ela fazia anos…. Problema…. Que vou eu dar a miúda….
Ora umas quantas vozes sábias sugerem-me umas flores… em seguimento do sábio conselho, eis que o moçoilo, abdica de uma pequena parcela da semanada , salvo erro, naqueles dias os famoso 100 paus, que tinham de dar para eu me deslocar, almoçar no liceu, e ainda pra sair no sábado e sexta a noite, continuando.. Local: florista da Avenida Fernão Magalhães, perto da praça Velasquez, no Porto, entro com vergonha e peço a formosa e bem avantajada florista, que me recordo da figura na integra, uma flor para uma menina que fazia anos, primeira pergunta, é para a sua mãezinha ou para sua avozinha? Pronto caldo entornado…. Eu rapaz tímido , fiquei sem coragem para dizer que era para minha namorada , e lá disse a simpática senhora, sim sim é pra mãezinha, a segunda pergunta ainda mais difícil era de responder, que flor deseja?
Ora eu que de flores só conhecia as verduras que eram postas lá na mesa em casa, mal sabia o que dizer, e requisitei os préstimos da gentil senhora, ela de logo começou a arranjar uma Rosa, que depressa transformou numa coisa que naquela altura aos meus olhos era obra de arte, paguei cerca de 15 escudos se a memoria não me falha.
Bem lá apareci em casa da Miuda, toque na campainha já carateristico, eis que a moçoila quase em voo picado se lança contra mim, eu com o ramito atrás das costas , depois de lhe dar a beijoquita, disse Miuda tenho algo para ti neste teu dia especial, e sem mais palavras coloquei a frente dos olhos dela a Rosita……. Bem o impacto naquela altura valeu-me muito mais do que aquilo que posso aqui revelar..nas aqueles olhitos pretos , brilhavam de uma forma que ainda hoje eu revejo quando olho as estrelas nas noites mais escuras bem longe da cidade.

Eis aqui a primeira experiencia que tive com flores.
Vou dividir isto em capítulos, pois o tema requer um tratamento especial, pois falo na primeira pessoa de forma que fecho aqui o Preambulo.

7 comentários:

Oui C'est Moi disse...

:) Também já ofereci flores mas não dessa forma, a nenhum apaixonado. Que lindo, imagino o teu embaraço. :) Aguardo o resto da história.

Bj

de dentro pra fora.... disse...

È tão linda a idade da inocência com todas as suas descobertas e sentimentos á mistura :)
Estou a ver que venhem ai muitas outras historias...fico á espera, sempre bom ter-te de volta, apesar do que te mantem mais distante ser muito bom para ti também

Beijinho

Bruxinha disse...

Sejas bem vindo :)

e não demores tanto tempo a escrever, gosto de te ler ;)

Jinhos

Caçadora de Emoções disse...

Wolf,
Quantas saudades1
Adorei a tua história da vida real e vesti a pele dos personagens...
Tantas emoções vividas neste primeiro Amor.
Fico à espera de mais.

Abraços muitos e um sorriso :)

nuvem disse...

Há momentos na nossa vida que nos marcam para sempre.

Bonito, este.

Beijos

sonhos disse...

A idade das descobertas as que nos marcam pela sua beleza e pureza de sentimentos.
Espero pelo resto das flores.

Beijinhos

de dentro pra fora.... disse...

Que é feito da parte II, continuo á espera...