quinta-feira, 24 de julho de 2008

as vezes..cada vez menos...


as vezes sinto-me a minha procura,
no meio de mim mesmo...
ninguem me segura os pensamentos,
que em rodopio giram sem fim
tornado violento
não sou dono da minha vontade
não existe vontade

se o amanhã fosse minha vontade
não existiria o meu amanhã
pois nem hoje sei o que amanhã quero

tão fútil e oca que vida é
quero-me a mim mesmo
a memoria do que eu era
o espelho do que não sou

9 comentários:

Pearl disse...

Temos que nos pôr sempre em primeiro lugar nunca em ultimo!!


beijinhos!!

de dentro pra fora.... disse...

Amanhã, amanhã...será outro dia e logo se verá!...

Bruxinha disse...

Primeiro
Amo esta musica... é linda ...

Assim como tu .. tens um coração do tamanho do mundo e amanhã é outro dia ... Beijo enorme

Tou sempre aqui ...

Anónimo disse...

Eu danço!
Contigo? Não sei.

Beijinho

Y

Carla disse...

preenche esse vazio com a certeza de ti mesmo...o resto virá por acréscimo!
beijos

Momentos disse...

Gosto de te ler.
Já te passou pela cabeça encontrares-te fora de ti, procurares-te não no meio de ti mesmo? Pergunto-te e pergunto-me :-)
Fica bem!

Wolf disse...

Momentos

já me passou tanta coisa pela cabeça...

sabes eu acho que não procuro nada..sinceramente..poís existem coisas que não se encontram... Surgem....


Cumprimentos e volta sempre

já agora já te perguntas-te?
e já agora segreda lá as tuas respostas...rsrrss.... vá lá...

Momentos disse...

:-) eu não tenho resposta para essa questão, mas tive momentos em que me fartei de me analisar e deixei de pensar para ser, para sentir...perder-me fora de mim para me encontrar aí... sabes aquela frase "o homem só se mede em relação aos obstaculos que transpõe"...medir-me, conhecer-me, sendo eu mesma...e é bom...é gratificante...sabermos de nós pelo que fazemos e pelo retorno. Mas não é procurar soluções é conhecer-me, localizar-me, identificar-me... porque é verdade que as coisas não se procuram (é desesperante), mas encontram-se se soubermos o que somos, o que queremos. Olha sei lá, vou ter pensar mais um bocadinho :-)))
Tem um optimo Verão!

Something like dreaming disse...

As palavras são um refugio para a alma quando a alma não tem mais onde se refugiar, somos guerreiros, fomos feitos para não desistir... As palavras parecem insignificantes desabafos mas podem ser uma arma poderosa que nos ajuda a superartudo e a continuar a lutar...